segunda-feira, abril 13, 2009

Fogos-Fátuos ?


Não posso adiar
ainda que a noite pese séculos sobre as costas
e a aurora indecisa demore
não posso adiar para outro século a minha vida
nem o meu amor
nem o meu grito de libertação

Não posso adiar o coração


António Ramos Rosa



O Génio estendeu-me a garrafa de vodka e sorriu. Um Star Wars tomou a dianteira no meu ecrã, mediu forças e o que restou foram muitas estrelinhas que é assim que as crianças vêem o amor. À menina Concha* o Génio passou-lhe a lamparina, situação normal quando saltamos para o mundo dos contos árabes e das muitas fictícias noites. Estávamos caídos no Bar partindo gelo com esquimós oriundos de embalagens esquecidas de Prozac, fazedoras de sonhos momentâneos. Daquela garrafa por mais que esfregasse só retiraria uma praga de hesitações minhas e em público, salvaguardando a menina bem comportada do meu acanhado jeito de ser. Trancas à porta, teimosias, ele sempre soube que no meu colo, efectivamente, nunca espartilhado desejo ousou beber sequer uma chávena de café. Ambição retardada, imaginação doente e contrafeita foram elos com a princesa Concha que desejou, após esfregar a lamparina, deitar fora o coração e obrigá-lo a ficar sozinho no fundo mar. Um broken heart, usou-se e usa-se neste tempo tal como as modas nas passareles, trilho das divas aos solavancos nos sapatos de grife. Na vida artificial e provocada, um Transformer, ser de filmes reais, veio enfatizar a minha bíblia riscada (regaço acima, passeio os grandes mestres das artes literárias que alguém quis cortar-me dos dedos, os verdadeiros artistas, só depois vêm os clássicos cinematográficos). Chegado do congresso dos Génios, lá no outro lado do mundo, o Transformer converteu o buraco existente, meu peito adentro, num amontoado de segredos e receitas de Shariar, o rei traído de Sherazade. Pois, nessa altura, havia uma toca bem no centro da minha alma donde espreitavam por gelosias feras incompletas por mim. E eu, a pensar que já tinha muito papel espalhado pelo bar e até sussurrei e pedi aos anjos que recortassem o “love como nos filmes” e deitassem o resto fora. Afinal, alguém disse um dia que, o amor é a serena brincadeira dos adultos. Queria ver isso. Eu não pedi nada ao Génio, só queria um pouco de companhia, eu própria agarrei no parvo do meu coração ainda a fazer beicinho, amarfanhei-o entre os dedos e procurei uma Nautilus*, igual à de Concha, soprei-o lá para dentro e em vinte mil léguas submarinas apedrejei o oceano. Não olhei para trás, ao contrário de Concha, coloquei-lhe um código pass daqueles para esquecer. Também queria aprender a ser sozinha. Nada de resgatar mortos do esquecimento, apenas ficou o sexo fiel a alguém e descartável. Dangerous game for my mind. Mas os homens sabem bem o timming e a hora de partir antes que subsista algo mais, no fundo, no fundo, eu também não queria. Diferente de Concha, não desejei o rapaz de cabeça cheia de caracóis por fora e ideias por dentro. Isso para mim cheirava a pastilha mastigada. O verdadeiro amor é como a aparição dos espíritos: toda a gente fala dele, mas poucos o viram*. Ai está, não sei se fada sininho, se anjo real, transformada a lacuna do meu peito pelo Transformer assaltante e, no momento preciso de um flash, eu vi o amor e sei que sou das poucas que o vejo. O Génio contra minha vontade, soprou tão rápido, e ao mesmo tempo que nem me apercebi. Atenção desperta, veio mais uma história e nos recônditos árabes as 1001 noites passaram a ter 1002 histórias. Sherazade inspirou-se e deixou uma história ardendo na lamparina, só eu não percebi. Dentro da Nautilus entraram dois corações, um soprado pelo Génio e outro por mim e permanecem no fundo do mar, bem juntos. Surpresa, a garrafa de Vodka é para eu brindar. Brindar à paixão. Por isso este Bar hoje é um … templo… um templo de amor… Brindemos.


* Personagem da história para crianças “A rapariga que perdeu o coração” de Margarida Rebelo Pinto. Concha é uma menina sonhadora que após um grande desgosto, e incapaz de suportar a tristeza, pede ao génio da lamparina para que este lhe esconda o coração no fundo do mar dentro duma concha Nautilus.

** Concha em espiral

*** François La Rochefoucauld

BAR

Hoje sirvo:
COM ÁLCOOL
Coffe Shot

Ingredientes :
Licor de Café
Vodka
Tequila
Baileys

Método de Preparação :
Deve-se colocar as bebidas com a mesma ordem dos ingredientes, em medidas iguais.

SEM ÁLCOOL
Peach Ice

Ingredientes :
1 Pêssego ou nectarina
1 Pêra
Gelo
Limão

Método de Preparação :
Bater o pêssego com gelo e meter num copo, depois bater a pêra tambem com gelo e deitar por cima do preparado anterior, de seguida coloca-se umas gotas de limão.

Há quem lhe junte um pouco de vodka ;) ha ha ha

MÚSICA

Sirvo ainda: Let Me Be Myself - 3 Doors Down.

32 comentários:

zé joão disse...

sim,sim.um hino á verdade do amor,á verdade da paixao,sim vamos todos fazer um hino aos abraços que devia-mos nos presentear a todos ,todos os dias !parabens por ter encontrado o amor

Cadinho RoCo disse...

E de pensar no mundo de coisas que há no fundo do mar.
Cadinho RoCo

rui disse...

Angel..depois de ler este texto..até pensei em brindar....mas sozinho até nem faz sentido...
abri uma lata de coca -cola e bebi um pouco.. näo vou dizer que arrotei..
porque todas as pessoas sabem que a coca -cola provoca este sintoma............
Como näo tinha Lamparina... esfreguei os olhos com tanta força, que acabei por ver estrelas..
näo as estrelas dos filmes.. essas näo säo para os meus olhos......
Vi estrelas...
As mesmas que normalmente via no meu imaginário..quando brincava com as naves do Star Wars
e onde nunca saia derrotado das minhas batalhas...
Recordei as minhas princesas.. com imenso respeito....um respeito de agradecimento
pela forma que se envolviam...nos passeios que dávamos pela Galáxia do Amor.
Normalmente acabavamos cansados....as massas musculares fragilizadas.. e onde
as pastilhas elásticas...eram deitadas fora por falta de sabor...
Reparei agora que vim aqui para comentar...e näo para falar da minha Galáxia......
Angel...tive imensa pena do rapaz dos caracois....se calhar até ja nem os tem...
Era bonito...inteligente......mas faltava-lhe energia.. estava muito agarrado as saias da mae
A concha...nessecitava de outras coisas.....é certo que o seu envolvimento com tal personagem (Zeca)
Acaba mal...Mas ela tentou sempre ser feliz.. foi o que pensei dela....
Quem nao gosta de historias envolventes...ainda por cima...... ela na sua timidez.... lentamente
abriu o veu..queria ser feliz..........näo vi mal nisso.... na parte final acho que ela vai conseguir...
olhe...Angel ainda nao acabei o livro..... mas você pelo vejo já o leu...porque já fez o brinde....
Eu brindo mais tarde se me permite...mas só o farei se o amor vencer...
Fique bem ........obrigada por me ter indicado este livro.......estou adorar
um beijo....pelo seu carinho
Rui

rui disse...

Angel....desculpe mas seria justo nao dizer isto....
quem nos dá a saborear estas musicas que aqui coloca.........
tem imenso gosto......parabens

penso que ainda vou tempo........

nao perca a sua juventude... ela é linda......

um beijo
Rui

Marta disse...

Atravessamos sempre as tempestades, descobrindo a verdade no fundo do mar...
Texto brilhante como sempre...
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Angel, belo texto...Soberbo....
Beijos

manzas disse...

Desperto encostado á escura noite
Na velha e dura calçada do relento…
Na cama onde a chuva é açoite,
Agasalho-me com lençóis feitos de vento!

Grato sempre pela
Bem-vinda visita
E comentário!
Uma boa semana,
No abrigo da paz
E do amor!

O eterno abraço…

-MANZAS-

Tatiana disse...

Não adies nada e nos brinde sempre com uma postagem tão rica e bela assim...

Vim apreciar e aproveitar para lhe desejar uma semana maravilhosa!

Beijos com meu carinho

Mário Margaride disse...

Como é fantástico ouvir os Doors Down, e de seguida, beber um drink.

Beijinhos e bos semana!

Mário

Passa também pelo "AMOR DE ALÉM MAR", outra forma de fazer poesia em dueto.

Baby disse...

Se este bar hoje é um Templo do Amor, então eu vou ficar para um drink e dois dedos de conversa!

Gostei de cá voltar.
Bom fim de semana.
Bjs.

Nilson Barcelli disse...

Gosto dos teus textos.
E deste, muito.
Bom fim de semana.
Beijos.

José disse...

E a escolha foi bem metida...venham de lá esses drinks e vamos para a farra...mas cuidado com a condução..ai, a mistura é mesmo explosiva...tudo de bom

tossan disse...

Brindemos então o gênio, o amor e este belo e longo texto. A minha é pura, seca, com 4 cubos de gelo e como corante 1/2 dose de Campary.Saúde! Beijo

Jorge Vieira Cardoso disse...

SÃO AS PALAVRAS QUE NOS CUIDAM, DEIXEM QUE ELAS SE ENTRETENHAM NOS OLHOS DE UM UNIVERSO SEM AUTOR…


BEIJO E BRINDEMOS NO TEU BAR...

vida de vidro disse...

Depois desse belo texto, um coffee shot vai saber-me bem. :)**

Ricardo Marques disse...

Assim vale a pena vir ao bar xD
Gostei do post. São sempre grandes mas com bom conteúdo

"Um Star Wars tomou a dianteira"

Esse "Star Wars" é uma expressão cómica xD

Muito bom mesmo.

Continuação!

Cumprimentos!
:D

Albert disse...

Um texto de fôlego e belo.
Parabéns!

Nuno de Sousa disse...

Bem estou por aqui admirante o que escreveste e ouvindo esta musica que gosto bastante dos 3 Doors, e claro bebendo o meu Peach Ice, humm delicia estar aqui amiga admirando o que escreves.
Parabéns e deixo ficar uma bjoca
Nuno

Carla disse...

brindemos então com as tuas palavras neste templo do amor
beijos

Amarísio Araújo disse...

Angel,

Incrível esta aventura pela qual você nos arrasta.Não há um Gênio que nos tire das contradições do amor,mas é preciso sempre o desejo de um pouco de companhia combinado com a sabedoria de se ser sozinho.
E que façamos de nossa concha um templo de amor...e brindemos sempre à paixão.

Que seus dias sejam belos.
Beijos carinhosos.

Paulo Sempre disse...

Obrigado pelo comentário.

Voltarei...com mais tempo.

Paulo

angel disse...

Este blog é enebriante!
Primeiro embriago-me com os versos, depois com os contos que a mim servem como uma bebida forte que aquece corpo e alma.
brindemos sempre ao amor e a vida!
beijo
Angel

O Profeta disse...

De génio é sem dúvida a tua escrita...


Doce beijo

poetaeusou . . . disse...

*
passei por aqui
á procura de novas,
,
já tinha comentado este post !
ou não ???
,
conchinhas serenas, deixo,
,
*

veritas disse...

a vida não se faz de adiamentos, o amanhã pode chegar, mas já é tarde demais, outras pontes virão e poderão perder-se se não tivermos agarrado a sua sedimentação no momento chave, hoje!

Bjs. Bom fim-de-semana.

Rafeiro Perfumado disse...

É por isso que eu tenho o meu coração no seguro, não vá um dia perdê-lo sem dar por isso!

O Profeta disse...

Ó chamateia que fala da saudade
Ó canção que pões um brilho nos olhos
Ó mulher que tens a forma da viola
Ó que espalhas paixões aos molhos

E o cantar da meia-noite
A todos encanta e seduz
Cantar até que morra a voz
Cantar até que haja luz


Boa semana


Doce beijo

Apenas eu disse...

Ler as tuas palavras, acompanhadas da bebida que nos proporcionas, e com esta música, quase poderei dizer que perfeito é este momento.

Posso fumar??
é que depois de tudo isto um cigarito vinha mesmo a calhar:)

Não te esqueças de me chamar sempre que houver boas palavras, boa música e uma bebida assim, foi um prazer.

beijinhos *****

Cöllyßry disse...

Profundo texto...

Grata pela companhia neste ano que finda...


|)’’()
| Ö,)
|),”
|Doce beijo da...

*Cöllyßry

candida disse...

pssst, pssst, um moscaTel doxinho!mas cheiiinho de álccol.

candida disse...

e claro, uma charutada de cigarro, .)

O Profeta disse...

As andorinhas do Mar chegaram
Com alegria tatuada nas penas refulgentes
Soltam chilreados estridentes
Dançam no azul, rodopiam contentes

A maresia adormeceu na areia
O mar transformou-se em espelho de água
Uma nuvem mirou-se nele
Verteu uma última gota de mágoa


Boa semana


Doce beijo