quarta-feira, novembro 22, 2006

Terminal

Passeando pelas minhas reflexões, leituras e a relembrar Confúcio-Quem não sabe o que é a vida, como poderá saber o que é a morte?-, deixo-vos a sugestão de leitura do post de Tearatai em Asas da borboleta (aqui).

E este é, sem dúvida, o mais doloroso paradoxo da nossa época: fazendo de conta que a morte não existe, tornámo-nos pessoas tristes e deprimidas que passam pela vida como se já estivessem mortas. Caramba!

Tearatai (http://asasdaborboleta.blogspot.com)

3 comentários:

MARTA disse...

Obrigada pela dica - vou passar por lá e ler.
Evitamos sempre pensar na morte, mas no entanto, ela está sempre presente..
Obrigada tb pela visita ao blog - bom "mergulho".
Beijos e abraços
Marta

Alexandre disse...

Que pensamento fantástico, Angel! Que ensinamentos riquíssimos podemos colher daqueles que conseguem encarar a vida com naturalidade, com ela deveria ser, tudo na sua sequência e no seu tempo!

Obrigado, Angel! A blogosfera não seria a mesma sem uma Angel que olha por nós!!!

Beijinhos grandes!

Brito disse...

Sentar-me...abrir o teu blog, e...
perder-me na tua sublime escrita mágica, perturbante, rica, cheia de essencia e misterio...!
Assim se descobrem talentos escondidos na imensidao do nosso mundo maravilhoso; com pessoas maravilhosas como tu Mar